Um apartamento virado ao contrário

autoria José Campos

// data 19/01/2016 - 18:58

// 35513 leituras

Era um apartamento construído nos anos 90, em pleno "boom construtivo", "sem mão de arquitecto". Com a reabilitação do gabinete mero oficina ganhou mais alguns anos de vida. Para este projecto, Vitório Leite e Catarina Ribeiro viraram esta casa de férias ao contrário. Os quartos, que antes tinham vista para o mar de Vila do Conde, nomeadamente pela grande janela que os tornava numa "estufa", e acesso privilegiado a todo o ruído dos bares e restaurantes ao redor do Forte de São João, estão agora voltados para o logradouro. A sala e a cozinha, que pouca luz recebiam, iluminaram-se e ganharam uma moldura azul e verde natural. A atravessar todo o apartamento, corre um pano de madeira que abre e fecha divisões, à vontade do freguês: a sala separa-se da cozinha, tanto podem existir dois quartos como cinco. No centro, está o núcleo dos quartos de banho, onde se localiza também a lavandaria. Porque um dos objectivos também foi dar às tarefas do quotidiano outra relevância, quase "social", e "estatuto", conta, ao P3, o jovem arquitecto. O gabinete mero oficina foi criado em 2014. Cresceu entretanto — cinco pessoas trabalham hoje no atelier, que se situa no espaço Oficina Comum, no Porto. A aventura "está a correr bem". Estão com alguns projectos em andamento, principalmente de reabilitação, que se assume cada vez mais como uma saída para os jovens arquitectos. Uma área que tem pouca presença na faculdade ("fomos obrigados a aprender quase à força, é fundamental nos dias de hoje") mas que "é tão válida como fazer uma obra de raiz". AR

Eu acho que