Orienta-te Redes Sociais
A taxa de desemprego entre os jovens enfermeiros é de 20%

A taxa de desemprego entre os jovens enfermeiros é de 20% Rui Gaudêncio/arquivo

Enfermeiros protestaram em 2010 por melhores salários

Enfermeiros protestaram em 2010 por melhores salários e mais oportunidades em cargos de chefia Nuno Ferreira Santos

Números

80,06%
de enfermeiros empregados

41,5%
com trabalho precário

19,91%
de enfermeiros desempregados

Emprego

Acabar curso de enfermagem não significa ter emprego estável

Mais de 40% dos licenciados nos últimos três anos tem trabalho precário, revela estudo da Ordem dos Enfermeiros

Texto de Daniel Cerejo • 03/10/2011 - 11:00

Distribuir

Imprimir

//

A A

Mais de 41% dos enfermeiros inscritos na Ordem dos Enfermeiros (OE), nos últimos três anos, trabalha em condições precárias - ora com contrato a termo, ora somente como prestador de serviços. É o que revela o documento "Situação Profissional dos Jovens Enfermeiros em Portugal", um estudo realizado pela OE pelo terceiro ano consecutivo. 

 

A percentagem de 41,05% de profissionais em regime precário faz parte do valor de enfermeiros empregados (80,06%). No entanto, percebe-se que este elevado valor de empregabilidade, quando aprofundado, não é sinónimo de estabilidade.

 

Há ainda o caso de trabalhadores que, uma vez licenciados, não exercem a profissão em que se especializaram. No caso da enfermagem, os licenciados que trabalham em outras áreas que não a do curso representam 4,9% dos inquiridos.

 

Taxa de desemprego de 20%

Esse número, somado aos 15% de enfermeiros sem actividade que o estudo revela, faz com que nos deparemos com a taxa de desemprego já esperada de cerca de 20%.

 

Além disso, os recém-licenciados em enfermagem demoram, agora, cada vez mais a encontrar emprego. O tempo médio de espera situa-se entre os três e os seis meses.  Contudo, se em 2009 existiam 13,5% de enfermeiros a esperar entre seis meses a um ano, actualmente são 23,5%.

 

No entanto, a interpretação dos números exige que tenhamos em conta que, em 2009, a amostra era de 730 jovens enfermeiros, contra os 1379 inquiridos do estudo agora divulgado. Ao todo, estão inscritos 10089 enfermeiros na OE. 

 

Importa referir ainda que entre os 80% empregados, 72,4% estão a exercer no sistema de saúde português e 7,7% no estrangeiro. Para quem saiu e para quem quer sair, os destinos mais procurados têm sido países francófonos (França e Suíça) e anglo-saxónicos (Inglaterra e Irlanda).

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Entrevista

Plataforma de denúncia de emprego precário e ilegal Ganhem Vergonha reuniu quatro anos de abuso num livro. Já há “mais consciência” e “discussão pública” — mas...

A realidade nua e crua de um parto...

Fotografia // "Alerta: um parto é acontecimento bonito, mas é também turbulento e...