Orienta-te Redes Sociais
Nuno é jornalista, emigrante e tem um carro com trinta anos

Nuno é jornalista, emigrante e tem um carro com trinta anos

Excerto

'Se te deixares levar pela vontade, vais demorar mais a responder aos e-mails, as conversas no "chat" serão cada vez mais curtas e com respostas breves, nem sempre vais ligar o Skype. Até queres partilhar, mas não sabes como, porque, lembras-te, o essencial não cabe em palavras. “Tens a certeza que está tudo bem?”, “claro que está”, “estás diferente”, “não, é impressão tua”'

Reuters

Crónica

Amar à distância

Manter uma relação à distancia não é fácil. O amor é uma força poderosa, mas não vence tudo. Pode mover montanhas, sem que contudo nada possa perante o desconforto que se vai instalando. De repente, há tanto de ti que já não é quem era

Texto de Nuno Andrade Ferreira • 27/08/2013 - 16:27

Distribuir

Imprimir

//

A A

Aqui estás tu, a tocar-lhe no rosto com as duas mãos e a dizer-lhe que “vai correr tudo bem”. Percebes o desconforto no olhar e acrescentas “se quisermos, é possível”. Daqui a pouco dirás, como derradeiros argumentos, dois ou três lugares comuns sobre o amor verdadeiro, “o nosso é tão especial”. Não te esqueças de lhe dizer que podem falar a qualquer hora, e que vais estar sempre online (promete telefonar pelo menos duas vezes por dia!).

 

Vais acreditar em tudo, e a dada altura, quem te ouve, também. E então vão fazer planos para o reencontro. Nas férias, quando voltares, farão uma viagem, dedicarão dias seguidos a fazer amor. “E se fosses ter comigo?”, “não dá, com o meu trabalho”, “claro que dá, só precisamos de organizar as coisas com calma, planear tudo”.

 

Até que chega o dia. Estão no aeroporto, a bagagem despachada com excesso de peso. Daqui para a frente, só passageiros com cartão de embarque. Estiveram bem dispostos até aí, os últimos dias foram cansativos. É agora. Tens a sua mão na tua. Silêncio. Abraçam-se, e choram, os dois (tu talvez menos, porque tens a cabeça dividida entre coordenadas). Dás-lhe um beijo, secas-lhe as lágrimas e repetes as promessas com que começaste o texto.

 

Mostras agora os documentos ao segurança, que te deixa passar. Antes de fazeres a curva, aí mesmo, viras-te para trás e consoante o nível de pirosice do vosso amor, acenas, ou gritas uma lamechice qualquer. "Who cares?" Amo-te, amo-te, amo-te, daqui até à lua, ir e voltar, para sempre, até ao fim do mundo.

 

Quando vivi em Luanda, morei num bairro que se chamava Nova Vida. Achei a associação carregada de sentido. Em nós, há tanta coisa a acontecer, tanto mundo novo a entranhar-se, que nova é mesmo a melhor palavra que se pode juntar à vida.

 

Manter uma relação à distancia não é fácil. O amor é uma força poderosa, mas não vence tudo. Não vence um olhar renovado, uma percepção diferente. Pode mover montanhas, sem que contudo nada possa perante o desconforto que se vai instalando. De repente, há tanto de ti que já não é quem era. És tantos.

 

Se te deixares levar pela vontade, vais demorar mais a responder aos e-mails, as conversas no "chat" serão cada vez mais curtas e com respostas breves, nem sempre vais ligar o Skype. Até queres partilhar, mas não sabes como, porque, lembras-te, o essencial não cabe em palavras. “Tens a certeza que está tudo bem?”, “claro que está”, “estás diferente”, “não, é impressão tua”.

 

Poderia falar de mim, mas seria recalcamento (que também os tenho). Falo-vos por isso de todos aqueles a quem vi um amor acabar (e daqueles que, por isso, respiraram de alívio). E falo-vos também, e principalmente, dos outros, que valem por todos, que se superaram, que não desistiram, que se esforçaram todos os dias, obrigando-se, às vezes contrariados, a pensar no regresso (ou no reencontro), muito mais do que na partida (ou na despedida). Falo-vos, finalmente, daqueles que perceberam que, se amar é difícil, faze-lo por "megabyte" é ainda mais complicado.

Eu acho que
Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Fotografia

"A geração retratada na minha série fotográfica ["Come Hell or High Water"] é a dos jovens que atingiram a idade adulta no momento da viragem de século, os...

Entre casais também há violações

Vídeo // A realizadora Chloé Fontaine chamou à curta metragem Je suis ordinaire — o que...