Orienta-te Redes Sociais
A primeira imagem de Sally Davies, no dia em que comprou a refeição

A primeira imagem de Sally Davies, no dia em que comprou a refeição Sally Davies

Happy Meal fotografado dois anos depois do início do projecto

Happy Meal fotografado dois anos depois do início do projecto Sally Davies

O hambúrguer 1000 dias depois de ser comprado

O hambúrguer 1000 dias depois de ser comprado Sally Davies

Sally Davies

Fotografia

1005 dias depois, hamburguer de McDonald's ainda não se decompôs

Sally Davies continua o projecto "Happy Meal Project", em que fotografa a refeição infantil diariamente. Quase três anos depois, não há sinais de decomposição. O que diz isto sobre a "fast-food"?

Texto de Mariana Correia Pinto • 10/01/2013 - 13:23

Distribuir

Imprimir

//

A A

Tudo começou numa conversa com um amigo. Sally Davies é vegetariana, o amigo não. Ela é completamente anti-hambúrgueres, ele um fiel apreciador.

 

“Dizia-lhe o quão prejudiciais podiam ser os hambúrgueres que milhões de americanos devoram. Ele ria-se e eu decidi que lhe ia provar que estava certa”, recorda a fotógrafa numa entrevista ao El Mundo há cerca de dois anos.

 

Comprou um “Happy Meal”, no McDonald’s, e decidiu fotografá-lo todos os dias até que apodrecesse. O resultado está à vista : “Parece que o tempo não passa pelo hambúrguer.”

 

Passaram 1005 dias e a refeição continua com um aspecto semelhante ao que tinha no primeiro, sem sinais óbvios de decomposição. Com o “Happy Meal Project”, a artista nova iorquina quer provar que a comida servida pela cadeia norte-americana (e a "fast-food" em geral) é, de facto, pouco saudável.

 

Os alimentos do menú infantil do McDonald's, que a fotógrafa mantém em casa, ao ar livre, apresentam alguns sinais de desidratação (sobretudo o pão) mas não há sinais de putrefação.

 

O projecto de Sally , que completa três anos no dia 10 de Abril, pode ser acompanhado no Flickr, onde há algum tempo se tornou viral. “Continuarei a fotografar o hambúrguer até que se decomponha, o que pode levar o resto da minha vida”

 

Sally Davies iniciou a sua carreira como pintora há mais de trinta anos e as suas criações já apareceram em séries televisivas mediáticas como “Sexo e a Cidade”.

Eu acho que
P3 now speaks English. See our galleries

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Ilustração

As cores vivas não disfarçam o humor negro nas ilustrações e gifs de Cécile Dormeau — da mesma forma que as mulheres de formas redondas não escondem os...

“Hacker mais valioso” do mundo quer...

Tecnologia // André Baptista, 24 anos, sagrou-se o “hacker mais valioso” num concurso...