Orienta-te Redes Sociais

Flickr/TEDxMontreal

Conferências

Há espaço para tantos TEDx em Portugal?

Há TEDx para todos os gostos. Este sábado, as conferências serão no Porto e em Barcelos. Outros se seguirão. Não há TEDx a mais em Portugal?

Texto de João Eduardo Martins • 27/04/2012 - 14:00

Distribuir

Imprimir

//

A A

Portugal aderiu, definitivamente, ao fenómeno TED. Desde 2010 que se tem assistido a uma proliferação de eventos do género: TEDx Lisboa, TEDx Aveiro, TEDx O’Porto, TEDx Vimaranes, TEDx Viseu, TEDxCoimbra e TEDx Cascais são alguns exemplos de uma lista que já chegou aos dois dígitos. Só em 2012, já se realizaram três conferências TEDx em Portugal.

 

As conferências TED nasceram em 1984, em Monterey, na Califórnia, com o lema “ideias que merecem ser espalhadas”, juntando pessoas de três áreas: Tecnologia, Entretenimento e Design. A partir de 1990, as conferências passaram a ser organizadas anualmente e alargaram-se a outras áreas de interesse, convidando oradores e pensadores de várias formas de intervenção na sociedade a partilhar as suas ideias e a projectar um futuro em que as palavras-chave são inovação e empreendedorismo.

 

Para fazer frente ao crescente interesse nas conferências, os organizadores lançaram, em 2009, o conceito TEDx, um programa de eventos locais, organizados autonomamente e que juntam pessoas no mesmo espírito de partilha de ideias.

 

Aos organizadores de um TEDx, que têm de pedir uma licença à organização norte-americana, apenas é pedido que cumpram um guia de procedimentos, que inclui, por exemplo, orientações sobre o limite de espectadores de cada evento, a impossibilidade de promover produtos comerciais e de disseminar mensagens extremistas ou com qualquer motivação política.

 

Este sábado realiza-se o primeiro TEDx Barcelos e a terceira edição do TEDx O’Porto. Slogans como “Caminhos diferentes” (TEDx Barcelos), “Das tripas coração” (TEDx O’Porto) ou “Ultrapassar limites” (TEDx Aveiro) comungam da vontade de apontar saídas alternativas para os problemas actuais. Mas será que tantas iniciativas deste tipo não poderão saturar o conceito das conferências?

 

Há espaço para todos, dizem eles

Norberto Amaral, co-responsável pela organização do TEDx O’Porto, no Mosteiro de São Bento da Vitória, diz que não existe este perigo, uma vez que “quem vai a estes eventos percebe que eles são distintos, pois são organizados de forma independente”. “Num país com 10 milhões de habitantes, este não é um mercado que possa ser saturado”, afirma.

 

Norberto salienta que o evento se distingue dos restantes por “trazer oradores que não são conhecidos do público”. “Nós queremos dar um espaço onde essas pessoas, que não tenham visto até agora reconhecido o seu valor, possam divulgar as suas ideias”, acrescenta, referindo como exemplos Tânia Domingos e João Lopes Martins.

 

André Costa, um dos organizadores do evento de Aveiro, agendado para 26 de Maio, reforça a ideia de que um número elevado de eventos similares e com datas tão próximas não banaliza o conceito, já que a aposta é feita numa estratégia local. “Acreditamos que em todas as comunidades existem pessoas que merecem partilhar as suas ideias para mudar o nosso mundo para algo um pouco melhor”, diz.

 

Como exemplo desta aproximação à comunidade, André Costa destaca duas iniciativas um evento dedicado ao tema “envelhecimento activo”, onde foram envolvidas “instituições particulares de solidariedade social e universidades seniores locais”, e o TEDxRuaN235, realizado na prisão de Aveiro. Contudo, esta tendência parece ser contrariada pelo painel de oradores do TEDx Aveiro, que inclui nomes como Carlos Magno, Laurinda Alves e Edson Athayde.

 

Por seu turno, Andreia Mandim, uma das organizadoras do TEDx Barcelos, confessa que tem um certo receio que “o conceito e a marca se banalizem um pouco e deixem de ter o poder que tinham no início”. Curiosamente, aponta a mesma forma de diferenciação do seu congénere do Porto para afastar essa saturação: “Queremos que [os oradores] não sejam só pessoas de sucesso com nomes muito reconhecidos, mas também pessoas que têm histórias mais próximas das que vão assistir.” 

 

Segundo André Costa, a coordenação entre os vários eventos nacionais “não é suficiente”, sendo essa a razão do primeiro Encontro Regional TEDx para organizadores de Portugal e Espanha, que se realiza a 24 e 25 de Maio, na Universidade de Aveiro: “A nossa preocupação é que em Portugal sejamos capazes de ser colaborativos e não concorrentes e possamos unir esforços para organizar cada vez melhores eventos TEDx.”

 

Apesar de não acreditar num desgaste da marca TEDx, diz que é necessário “encontrar um calendário nacional de modo a que não haja sobreposição de eventos”. 

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Movimento

Movimento cívico português quer pôr um fim à exportação de animais para fora da União Europeia. Avizinha-se uma luta longa e há barcos de papel para ajudar

A realidade nua e crua de um parto...

Fotografia // "Alerta: um parto é acontecimento bonito, mas é também turbulento e...