Evento

O Meu País no Teu: a festa da interculturalidade é no Porto

A 24 de Setembro, a Praça Gomes Teixeira vai ser ocupada por diferentes culturas, com música, dança e artesanato. É O Meu País no Teu — Festa da Interculturalidade

Texto de Sara Lopes • 21/09/2017 - 15:17

Distribuir

Imprimir

//

A A

O Meu País no Teu é um projecto do Espaço t, desenvolvido no âmbito da integração de imigrantes, para divulgar arte contemporânea intercultural. Agora, chegou a altura de juntar todos numa só praça. Das 14h30 às 18h30, no próximo domingo, 24 de Setembro, a Praça Gomes Teixeira vai receber a Festa da Interculturalidade. Apoiado pela Porto Lazer, o evento ao ar livre vai ter danças africanas e latino-americanas, canto cigano, música tradicional portuguesa e africana e canto do Brasil e da Ucrânia.

 

A iniciativa “pretende contribuir para um estreitamento das relações entre as diferentes comunidades residentes em Portugal, promovendo o interculturalismo e partilha de culturas, ideias e saberes”, pode ler-se no comunicado do Espaço t. O projecto O Meu País no Teu é financiado pelo Fundo Asilo, Migração e Integração, através do Alto Comissariado para as Migrações, e conta com a parceria dos membros do Conselho Consultivo Para a Interculturalidade.

 

No evento de 24 de Setembro estarão presentes dezenas de associações e grupos interculturais como a Associação de Imigrantes Mais Brasil, a Associação de Guineenses do Porto, a Associação Luso-Africana Pontos nos Is, a ESSALAM - Associação dos Imigrantes Magrebinos e Amizade Luso-Árabe, a Associação Amigos do Brasil no Porto, a Código Simbólico – Associação Sociocultural, a Liga dos Chineses em Portugal, a Kalina - Associação dos Imigrantes de Leste, a Associação de Amizade Matosinhos Mansoa, a Associação Plano i, a Batucada Radical, o Grupo de Cavaquinhos do Porto, a Escola de Dança Cubana “Porto com Salsa”, o Grupo Zumbi, o Grupo de Dança Cinco Cantos do Brasil, a Associação Alma Mater Artis, o Centro Comunitário São Cirilo e Associação Por Timor.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que