Um jogo de Monopólio injusto, como a vida real

autoria Diana Barros

// data 02/05/2017 - 17:04

// 7686 leituras

Em vésperas de eleições francesas, a desigualdade social é o prato do dia e o discurso de ódio ganha força. Talvez por isso o Observatório das Desigualdades francês (Observatoire des Inégalités) tenha criado este vídeo em que um grupo de crianças joga Monopólio com normas um bocadinho diferentes. E se no jogo de tabuleiro as mulheres só ganhassem 150 euros quando passam na casa de partida, mas os homens 200 euros? E se quem usa muletas não pudesse comprar estações? As regras são injustas — como as da vida real. E dão que pensar. Tal como na versão tradicional, o objectivo é levar os rivais à falência e chegar ao monopólio, mas seguindo indicações que não são as mesmas para todas as pessoas. Os pequenos jogadores não pareceram muito contentes e protestaram, o que no fundo é o grande objectivo do vídeo, que já conta com milhares de visualizações na versão original: alertar os mais novos para a desigualdade social e incentivá-los a desafiar o status quo. É que os números, apresentados no final do filme, não enganam: as minorias étnicas têm menos probabilidade de conseguir crédito para a habitação, as mulheres ganham menos do que os homens, os mais pobres são condenados a penas de prisão mais longas. A conclusão é que as novas regras do jogo — e, consequentemente, as velhas regras da sociedade — não são justas. "Não são justas de todo", sublinha uma das injustiçadas.

Eu acho que