Campanha

Associação do Porto lança vídeo contra a violência no namoro

Vídeo quer sensibilizar a comunidade escolar para as questões da violência no namoro". Participaram oito a dez alunos do 3.º ciclo de uma escola secundária de Vila Nova de Gaia

Texto de Lusa • 21/02/2017 - 17:18

Distribuir

Imprimir

//

A A

A Associação Democrática de Defesa dos Interesses e da Igualdade das Mulheres (ADDIM) lança esta terça-feira um vídeo feito por alunos do Agrupamento de Escolas de Valadares, em Vila Nova de Gaia, sobre a problemática da violência no namoro. O vídeo foi produzido no âmbito do projecto "Beija-flor" e pretende aproveitar o "Dia dos Namorados" para apelar a uma "consciencialização em torno de um tema com repercussões ao longo da vida", disse à Lusa a presidente da ADDIM, Carla Mansilha Branco.

 

Segundo a responsável, o projecto "decorre há três anos em escolas da região do Porto e envolve 800 alunos". "Durante muitos anos a ouvir vítimas de violência doméstica percebemos que ela começa numa fase muito precoce da relação, por isso era fundamental desenvolver acções preventivas e pontualmente começámos nas escolas esta sensibilização", descreveu a responsável.

 

Recorrendo aos números, Carla Mansilha Branco lembrou que "em 2013, mais de 10% das 27 mil queixas de violência doméstica incidiram sobre menores de 16 anos". "A violência no namoro é um fenómeno tão importante que a prevenção é necessária para combater este flagelo. Ela surge numa fase tão precoce que se corre o risco de se perpetuar", alertou.

 

Sobre a importância do projecto em curso e do vídeo, a dirigente da ADDIM entende "serem ferramentas para ajudar estes jovens a construir relações afectivas e sociais assentes no respeito pelo outro e pela outra". "A violência mais presente nos jovens é a psicológica e emocional, com insultos, ameaças, humilhações e tentativas de controlo", com as "redes sociais a terem contornos muito preocupantes, que conduzem a condutas de teor sexual para intimidar e humilhar a companheira ou o companheiro", destacou. E prosseguiu: "Enquanto a violência doméstica é marcadamente de género, a do namoro é bidirecional [em que] a rapariga é igualmente agressora". "Os jovens reprovam em abstrato a violência mas na prática desculpabilizam-na perante comportamentos como o ciúme ou infidelidade (...) e noutras situações não consegue distinguir o que é um relacionamento abusivo de um saudável", disse.

 

Uma das quatro psicólogas envolvidas no projecto "Beija-flor", Sofia Canedo, revelou à Lusa que o vídeo de cerca de sete minutos foi gravado na Escola Secundária Joaquim Gomes Ferreira Alves, no Agrupamento de Escolas de Valadares, e abrangeu "entre oito e dez alunos do 3.º ciclo". "O objectivo do vídeo é sensibilizar a comunidade escolar para as questões da violência no namoro" e versa temas como "o namoro saudável, o que é o amor, o que faria se se sentissem nesta posição de vítima e que conselhos dariam a pessoas que estivessem nessa situação", descreveu a técnica da ADDIM.

 

"Estes alunos são claramente veículos de uma mensagem forte para os demais sobre esta temática", frisou Sofia Canedo para quem "a comunidade escolar é a base para prevenir esta violência que depois de propaga ao longo de gerações".

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que