Saúde

DGS lança versão interactiva da roda dos alimentos mediterrânica

A roda tem como base a Dieta Mediterrânica, elevada a Património Mundial da Humanidade da Unesco, em 2013

Texto de Romana Borja-Santos • 07/02/2017 - 19:07

Distribuir

Imprimir

//

A A

Azeite, legumes e frutas da época em abundância e pouca carne ou peixe – sem esquecer a importância do convívio à mesa. Os princípios básicos da roda dos alimentos mediterrânica, desenhada há um ano pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto numa parceria com a Direcção-Geral da Saúde (DGS), estão agora disponíveis numa versão interactiva lançada pela DGS, através do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável.

 

A DGS, em comunicado, avança que esta ferramenta “explica os vários conceitos ligados ao padrão alimentar mediterrânico tendo como base a Roda dos Alimentos Portuguesa”. Uma vez que a roda dos alimentos é um elemento muito utilizado na educação alimentar, e que a Dieta Mediterrânica é desde 2013 considerada Património Mundial da Humanidade pela Unesco, a DGS adaptou esta ferramenta aos princípios mediterrânicos, que podem agora ser consultados e explorados de forma interactiva.

 

A ferramenta faz uma revisão dos princípios subjacentes ao estilo de vida mediterrânico, destacando-se, por exemplo, o consumo de alimentos da época e produzidos localmente, sem esquecer outros factores como ter uma vida activa. Depois, é possível explorar os vários grupos de alimentos que compõem esta roda, nomeadamente a água, frutas, hortícolas, gorduras e óleos, lacticínios, carne, pescado e ovos, leguminosas e cereais, derivados e tubérculos. Em todas as áreas são indicadas as porções recomendadas para cada alimento e as equivalências entre os mesmos.

 

“Pretendemos que a nova Roda dos Alimentos interactiva possa ser utilizada pelos profissionais da saúde e educação e disponibilizada em unidades de saúde, assim como no contexto de sala de aula como uma ferramenta para auxiliar os professores na abordagem ao tema”, sublinha Pedro Graça, director do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável.

 

Alguns dos princípios desta dieta, sintetizados pela DGS:

— Respeito pela sazonalidade e preferência pela proveniência local dos alimentos.

— Incentivo à incorporação de ervas aromáticas em detrimento do abuso do sal de adição.

— Promoção da utilização e transmissão geracional de técnicas culinárias saudáveis tradicionais, como sopas, ensopados e caldeiradas. — Incentivo ao tempo dedicado à confecção dos alimentos e partilha com família e amigos.

— Combate ao sedentarismo pelo incremento ao tempo dedicado a actividades de lazer.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que