Orienta-te Redes Sociais

DR

Dumbledore

Protesto

LGBT: 0 Exército de Dumbledore invadiu o Metro de Lisboa

Numa acção de contra-ataque à recusa do Metro de ter publicidade da rede social gay Manhunt, grupo afixou, esta terça-feira, 150 cartazes nas carruagens

Texto de Amanda Ribeiro • 09/02/2012 - 09:40

Distribuir

Imprimir

//

A A

Não, isto não é uma piada carnavalesca. Em resposta à recusa do Metro de Lisboa (ML) em ter múpis da rede social gay Manhunt, um grupo intitulado Exército de Dumbledore afixou, esta terça-feira, 150 cartazes nas carruagens do metro.

 

A acção, noticiada pelo dezanove, é apresentada como um acto de "Phobic-Hunt" ("caça à fobia"). O lema é "um Activismozinho por dia... não sabe o bem que lhe fazia".

 

Entretanto, de acordo com a página do Facebook do grupo, os cartazes já foram retirados de todas as carruagens.

 

Foram afixados vários modelos. Destacamos alguns. Um mostra uma imagem de dois homens a beijarem-se, seguido da frase, a negrito, "Há susceptibilidades que DEVEM ser feridas", uma clara resposta ao argumento dado pelo ML. Noutro, a mesma fotografia surge acima de um instantâneo do beijo, inventado pela Benetton, entre Angela Merkel e Nicolas Sarkozy. A mensagem: "Se a imagem de cima te choca mais do que a imagem de baixo, talvez devas pensar a tua noção de imoralidade." Num terceiro foi feito um visto em "Dignx de respeito". Todos terminavam com a mesma vontade expressa: "Se respeitas, respeita esta acção :)"

 

Esta terá sido a "primeira acção" de contra-ataque do Exército de Dumbledore, nome que remete para a saga Harry Potter. Convém não esquecer que a autora, J.K. Rowling, chegou a admitir que sempre vira o director de Hogwarts como homossexual. Já a semana passada realizou-se um "beijaço" como protesto contra a posição do ML.

Eu acho que
P3 now speaks English. See our galleries

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Documentário

Duas realizadoras espanholas investigaram os mitos enraizados sobre as mulheres solteiras: descobriram testemunhos reais e revelaram preconceitos escondidos....

Vive-se com VIH. O que mata é o...

Saúde // Ter VIH já não é uma sentença fatal, mas o preconceito continua à espreita. E...