Orienta-te Redes Sociais
Rodrigo Viana de Freitas

Rodrigo Viana de Freitas é co-fundador da Central de Informação

O excerto

Nós somos Porto. Esteja ou não o Governo preocupado com isso. Haja ou não apoio para o que é preciso fazer. Existindo ou não centralismo. Tantas vezes exagerado. Quase sempre exagerado. Nós somos Porto e haveremos sempre de ser Porto. O Porto que resistiu e que ainda hoje resiste. Sem ceder. Sem se vergar.

DR

Crónica

Nós somos Porto!

Nós somos Porto. Podendo viver em Londres, em Luanda ou em Lisboa. Somos a marca que nos define. Uma marca que atravessa os limites da cidade. Uma marca que representa todo um Norte. Tantas vezes desprezado. Tantas vezes esquecido. Tantas vezes...

Texto de Rodrigo Viana de Freitas • 11/11/2014 - 16:33

Distribuir

Imprimir

//

A A

Nós somos Porto. E digo “nós” porque é essa a nossa essência. A nossa alma. Somos mais que o conjunto de cada “eu”. Somos Porto. Uma força que não se explica, mas que se sente. Uma forma de estar. De ser. Podemos ser de qualquer clube, torcer por qualquer cor, mas somos sempre Porto. Somos o talento, a irreverência e a coragem.

 

Nós somos Porto. Podendo viver em Londres, em Luanda ou em Lisboa. Somos a marca que nos define. Uma marca que atravessa os limites da cidade. Uma marca que representa todo um Norte. Tantas vezes desprezado. Tantas vezes esquecido. Tantas vezes...

 

Nós somos Porto. Da terra onde são feitos os empreendedores. Os industriais. Os melhores arquitetos e jornalistas. Somos a investigação, a medicina, o calçado e o mobiliário. Somos os têxteis, as indústrias criativas. Somos a indústria transformadora. Somos o vinho. O rio. Somos a grande universidade.

 

Nós somos Porto. Da terra onde se escrevem e cantam as grandes canções, os melhores poemas. Onde se fazem os realizadores. Da terra onde se vencem as taças, onde se cortam as metas mais difíceis. Da terra onde se pedala mais que os outros. Onde nunca se desiste.

 

Nós somos Porto. O Porto da gastronomia. Do turismo. Do património. O Porto que sabe receber. Que se preocupa com quem o rodeia. Com quem o visita. O Porto do teatro. Da fotografia. Da ligação ao passado projetado para o futuro. O Porto da literatura, da filosofia, da moda. O Porto da pintura, da escultura e até da política. Somos Porto.

 

Nós somos Porto. Somos o Porto da religião. Da engenharia. Da criatividade. Somos o Porto que faz acontecer. No Porto ou fora dele. Somos Porto. Mil vezes somos Porto. Somos equipa. Somos força. Somos Porto. E cada um de nós que se espalha pelo mundo alastra ainda mais este sentimento nortenho de ser Porto.

 

Nós somos Porto. Esteja ou não o Governo preocupado com isso. Haja ou não apoio para o que é preciso fazer. Existindo ou não centralismo. Tantas vezes exagerado. Quase sempre exagerado. Nós somos Porto e haveremos sempre de ser Porto. O Porto que resistiu e que ainda hoje resiste. Sem ceder. Sem se vergar.

 

Nós somos Porto. Um lugar que extravasa os seus próprios limites. Um conceito inclusivo. De participação.

 

Não é por isso de estranhar que foi no Porto que nasceu o P3. Só podia.

 

Nós somos Porto. Somos Porto. Porto. Ponto.

Eu acho que
Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Media

Inspirada no Twitter e criada por um programador de 24 anos, a Mastodon é descentralizada e não tem publicidade. Não é a primeira plataforma do género

As mulheres de verdade têm pêlos,...

Livro // Há cerca de dois anos, num qualquer dia quentes de Primavera, Rocío Salazar...