Internet

Vem aí a Wikipédia chinesa

A China está a criar uma versão oficial da Wikipédia, para ser lançada já em 2018, e o Governo chinês quer recrutar 20 mil pessoas

Texto de Ana Rita Carvalho • 03/05/2017 - 17:04

Distribuir

Imprimir

//

A A

A China está a preparar-se para lançar uma versão própria da conhecida enciclopédia online Wikipédia, já em 2018. O conceito vai sofrer algumas alterações devido à censura e ao bloqueio de informação vinda do exterior.

 

Ao contrário da Wikipédia original, cuja equipa é constituída por voluntários, em meio de colaboração e livremente editável, a enciclopédia chinesa será uma colaboração de estudiosos, minuciosamente seleccionados, de várias universidades e instituições estatais, como é o caso da Academia Chinesa de Ciência. Segundo a Vice News, no total, o Governo chinês está a recrutar 20.000 pessoas para trabalhar neste projecto.

 

A Enciclopédia Chinesa foi aprovada pelo Conselho de Estado da China em 2011 e a referência do site já existe, mas em modo offline. São duas as edições publicadas: uma em 1993 e outra em 2009, ainda que seja imperceptível a dimensão da sua distribuição; esta é a terceira edição. Numa actualização recente, depois de uma reunião sobre a disciplina científica do projecto, Liu Guohui, sub-editor da publicação, revelou que mais de 20.000 estudiosos estão a trabalhar na versão online, a qual incluirá, em 2018, mais de 300.000 entradas, cada uma com cerca de mil palavras e 103 disciplinas.

 

"Limitados a uma muralha", como o site Quartz indica, os cidadãos chineses têm poucas opções de informação com referências independentes — a Wikipédia, por exemplo, está bloqueada na China.

 

Esta será também uma forma de as empresas privadas, que criaram as primeiras enciclopédias online, competirem entre si em busca de atenção. As maiores na área são a Baidu, com mais de 14 milhões de artigos publicados, e a Qihu360, que, além de ser um software antivírus, tem cerca de 30 milhões de artigos publicados. E, tal como a original Wikipédia, estas versões também podem ser editadas por voluntários. A única diferença? As empresas têm de aprovar as alterações realizadas.

 

O esforço oficial para alterar o acesso à informação na China, no entanto, parece preso à ética nacionalista das primeiras enciclopédias que surgiram. A Enciclopédia Britânica, que agora é apenas actualizada online, surgiu como uma resposta conservadora à Enciclopédia Francesa (segundo, claro, a Wikipédia).

 

Numa reunião recente, Yang Muzhi, editor desta terceira edição, disse que a enciclopédia online representará “uma grande muralha da cultura” destinada a orientar o público, confessando ainda que o país sentiu a pressão de “recuperar o atraso” em relação a outras enciclopédias nacionais.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que