Orienta-te Redes Sociais

Enric Vives-Rubio

Internet

“Amamentar não é obsceno”, mas o Facebook não gosta disso

Não é a primeira vez que o Facebook gera polémica. Desta vez, não só censurou fotografias de utilizadoras amamentando os filhos, como lhes desactivou a conta na rede

Texto de Ana Chaves • 08/02/2012 - 17:51

Distribuir

Imprimir

//

A A

O mundo não é, de facto, um lugar justo... mas, até aqui, nada de novo. Enquanto uns se indignam relativamente à permanência online de fotografias (supostamente) eliminadas, outros rebelam-se contra o facto de a rede social apagar fotos cujo conteúdo é inócuo — mães a amamentar, por exemplo.

 

Segundo o site CNet, a censura de fotografias de mães a amamentar bebés começou em 2008. A cena já gerou vários protestos até hoje, tendo ganho forma sobretudo com a petição «Hey, Facebook, breastfeeding is not obscene!» (Hey, Facebook, amamentar não é obsceno!), assinado por mais de 259 mil pessoas, e com o grupo online “FB! Stop harassing Emma Kwasnica over her breastfeeding pics” (algo como “Facebook! Parem de perseguir Emma Kwasnica e as suas fotos a amamentar”, numa tradução livre).

 

O primeiro movimento deu origem a uma manifestação em Palo Alto, na Califórnia, onde várias mulheres decidiram amamentar os filhos em frente à sede do Facebook e provar que alimentar os filhos não é pornografia. Para além disso, as mesmas mães decidiram fazer um boicote à rede social por um período de 24 horas.

 

Até à hora de publicação desta notícia, o primeiro grupo, criado pela norte-americana Kelli Roman, de 23 anos, contava com 4475 membros e o segundo, gerido por Emma Kwasnica, com 6317. Ao que consta, o Facebook já cancelou a conta de Emma quatro vezes e 30 das suas fotografias foram denunciadas por “conteúdo impróprio”.

 

Puritanismo, discriminação ou falta de memória?

O procedimento da rede social é entendido pela jovem como “um acto de discriminação”, uma vez que “a amamentação é uma tarefa diária como qualquer outra e não deve ser confundida com pornografia”, justifica.

 

Também em Janeiro de 2011, a psicóloga chilena Leslie Labbe foi banida do Facebook depois de publicar uma foto em que amamentava. A fotografia foi considerada "ofensiva", lia-se no e-mail enviado a Leslie. Pouco depois, dada a polémica, a chilena voltou a ser readmitida, sem aviso prévio ou justificação.

 

Mas, se dúvidas houver, nada mais fácil do que consultar a política da rede social: "Concordamos que a amamentação é um acto natural e belo e gostamos de saber que é importante para as mães partilhar as suas experiências com outros no Facebook". Hum? Tão novo, Facebook, e já com problemas de memória?

Eu acho que
Videoclipe.pt

Audio

Pós conseguem chegar às zonas mais profundas do pulmão

Lisboa

Há um marinheiro que brinca com as espinhas de uma sardinha, uma calçada portuguesa que dá chão a uma dança animada, uma sardinha coberta de cravos vermelhos,...

Construção costeira, desmazelo ou...

Fotografia // O fotógrafo Diogo Andrade percorreu toda a costa portuguesa, desde Caminha até...