DR

Crónica

NÃO VAIS ACREDITAR NO QUE ESTE CRONISTA FEZ!

Os sites de "click-baiting" são uma das maiores pragas dos tempos modernos. Aproveitam-se da ignorância de quem lê, de quem os segue

Texto de Nelson Nunes • 20/07/2016 - 11:54

Nelson é escritor disfarçado de jornalista armado em investigador
Nelson é escritor disfarçado de jornalista armado em investigador

Distribuir

Imprimir

//

A A

Na verdade, este cronista não fez nada de especial, a não ser tentar partilhar um bocadito de conhecimento no que à arte do "fact-checking" diz respeito. ​

 

Há dias, dizia-se que o Liedson (ex-jogador do Sporting) tinha morrido, mas essa era apenas mais uma das armadilhas de uma internet pejada de engodos. O segredo está em ler a informação: quanto mais objectiva for, melhor, mais fiável. Um "não vais acreditar" ou um "observa bem o que acontece" não se aceita​. Também é comum ver por aí malta a achar que a invasão da Normandia aconteceu ontem, partilhando desenfreadamente notícias com grau-zero de conhecimento sobre o que partilha — ou, às tantas, por não saber ler datas de artigos. ​

 

Os sites de "click-baiting" são uma das maiores pragas dos tempos modernos (a par do PokémonGo. Por falar nisso, um jogador de PokémonGo chama-se PokéMongo​ ​? #laracha). Aproveitam-se da ignorância de quem lê, de quem os segue. ​Não quero promover que os deixemos de seguir, até porque é sempre divertido observar a ignorância humana na sua plenitude, mas proponho que professemos os ensinamentos da dúvida e da incredulidade. Sempre que houver uma notícia aparentemente chocante, duvida: procura por informação confirmada por vários meios, se internacionais tanto melhor, e só depois poderás afirmá-lo. Caso não ajas desta forma, estás a espalhar desinformação e a fazer precisamente o oposto do que pretendias.

 

Façamo-lo desta forma muito simples: da próxima vez que um site desta índole publicar um título altamente sensacionalista, carregado de pontos de exclamação e frases que, bem vistas as coisas, nada dizem, o digníssimo leitor vai àquela página relativamente recente chamada Google, digita algumas palavras-chave da alegada notícia que esse alegado site informativo partilha e, de seguida, clica no separador "Notícias". Se não houver nenhuma novidade sobre a morte do tal sujeito, PASMO!, é falso.

 

Outra coisa que costuma resultar muito bem antes de se partilhar o que quer que seja é dar uma olhadela à data de publicação do artigo em causa. Sim, porque o Vasco Granja já morreu há quase oito anos, mas ainda há pessoal a partilhar a notícia como se tivesse acontecido ontem. Numa redacção onde trabalhei durante uns anos, havia um ditado popular: sempre que alguém pensava revelar uma grande novidade, da qual já todos sabíamos há umas horas, toda a redacção gritava em peso: sim, e o Michael Jackson morreu. E, para muitos utilizadores do Facebook, o Michael Jackson ainda anda a papar meninos no rancho de Neverland. ​Porque, não tarda, teremos um amigo a partilhar um GRANDE CHOQUE! MICHAEL JACKSON ENCONTRADO MORTO ​EM CASA​!, ​ou outra qualquer "notícia" de um site com o nome docaraças.com ou istoéincrível.pt ou opaijávai.pqp, e por isso sugiro que lhe atiremos um paninho encharcado às ventas. Obrigado.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que