Orienta-te Redes Sociais

Daniel Camacho

Facebook

Vi-te no Comboio: uma página para quem se apaixonou pelo passageiro do lado

A página do Facebook "Vi-te no Comboio" foi criada há pouco mais de uma semana e já reúne quase 20 mil “likes”. O objectivo é reunir depoimentos de pessoas que se interessaram por alguém que fazia a mesma viagem

Texto de Juliana Moreira • 07/02/2014 - 10:53

Distribuir

Imprimir

//

A A

Viste alguém no comboio por quem te apaixonaste? Queres encontrar essa pessoa? Sim, já criaram uma página no Facebook como para isso. Chama-se Vi-te no Comboio, nasceu há pouco mais de uma semana e já reúne quase 20 mil “likes”.

 

A ideia — inspirada no site I Saw You — partiu de três jovens de Braga, que administram a página. Chamam-se Daniel, de 24 anos, Tiago, 17, e Pedro, 20 (por questões de privacidade, preferiram que o P3 não publicasse os seus sobrenomes). Pouco depois, Ana, de 20 anos, também se juntou ao projecto. Já tinham passado por situações semelhantes no comboio (algo do género: pessoa X vê pessoa Y e cai de amores) e decidiram fazer uma versão nacional do “I Saw You”. 

 

Pesquisaram exemplos na Internet e descobriram que já existia algo do mesmo género: a “Vi-te no Fertagus”. Entraram em contacto com os administradores da página, que disseram "não estar interessados em expandir" para uma dimensão nacional. Mas deram luz verde para o grupo bracarense avançar com o “Vi-te no Comboio”, afirmou Daniel ao P3. 

 

Após o sucesso inicial da página — de que não estavam nada à espera —, os três rapazes começaram a ter um pouco de receio de serem “mal interpretados”. Como eram todos do sexo masculino, o projecto poderia ser visto como uma página para atrair raparigas. Assim, e também devido à criação da página “Vi-te no Autocarro”, afirmam ter decidido convidar Ana para participar. 

 

Em conversa por telefone, Daniel afirmou ao P3 que os principais objectivos da “Vi-te no Comboio” são não só a possibilidade de “elogiar anonimamente” um passageiro, mas também “mostrar que as pessoas, mesmo no comboio, onde supostamente não estão a fazer nada de especial, podem fazer a diferença”. 

  

Na página encontramos histórias que acontecem todos os dias nos comboios de Norte a Sul do país. A “Vi-te no Comboio” já recebeu cerca de cem histórias. Todas são anónimas. “Se alguém se identificar com a pessoa retratada na história”, terá de entrar em contacto por mensagem privada com os administradores da página. 

Eu acho que

Pub

Crónica

Existe, ainda assim, gente em pânico por uma mão dada em público ou um anel num dedo

O nascimento da Beatriz é uma odisseia

Ilustração // Nove meses, 40 semanas, 280 dias de gestação com "extremas alterações fisioló...