Investigação

Há ciência e conhecimento na Volta a Portugal

Universidades de todo o país apresentam ideias e projectos inovadores — “porque a Volta tem ciência”

Texto de Sara Lopes • 02/08/2017 - 08:17

Distribuir

Imprimir

//

A A

A 79.ª Volta a Portugal está prestes a começar. Esta sexta-feira, 4 de Agosto, há o prólogo (etapa preparatória) em Lisboa. Ao mesmo tempo, de camisola amarela e prontas para pedalar, as universidades de todo o país apresentam projectos em várias áreas, como Gastronomia, Ciência, Música, Património e Saúde. Vai começar a segunda edição da Volta ao Conhecimento.

 

"O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior prossegue o compromisso da promoção de um País com mais formação, mais ciência, mais cultura, mais conhecimento, na certeza de que são essenciais ao nosso desenvolvimento e contribuem para a valorização da identidade nacional", pode ler-se no Facebook da iniciativa.

 

Foi numa reunião com a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, e o jornalista Mário Augusto da RTP que surgiu a ideia da Volta ao Conhecimento. Ao longo de todas as etapas da prova anual de ciclismo, vários cientistas foram ao Há Volta, emitido pela RTP, falar sobre projectos em que trabalharam. Foi o que aconteceu no ano passado, e é o que se espera que aconteça este ano.

 

Para além disso, há um site onde se podem ver listados todos os projectos seleccionados para esta iniciativa. Basta aceder ao site e explorar cada etapa e cada categoria.

 

Conhecimento ao sprint

Na página web da Volta ao Conhecimento, ainda em actualização, existem projectos de 11 universidades, 12 politécnicos e várias entidades do país.

 

É o caso de Cidade do Fado desenvolvido pelo Instituto de Estudos de Literatura e Tradição, de Lisboa. O projecto debruça-se sobre a Mouraria no tempo de Severa segundo Pinto de Carvalho. Há um mapa e um breve dicionário do Calão do Fado.

 

Mais a norte, é possível descobrir-se mais sobre polímeros e carbono em bicicletas. Estudado e desenvolvido pelo Departamento de Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho e pelo Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros, este projecto “tem sido a chave do sucesso das bicicletas de alta competição”, segundo a informação presente no site.

 

A 10.ª e última etapa leva os ciclistas e os cientistas até Viseu, dia 15 de Agosto. 

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que