Jordan Whitfield/Unsplash

Crónica

Passamos quase mais tempo a estagiar que a estudar

Saber Soletrar será o Futuro da Nova Geração!

Texto de Luís Sousa • 15/05/2017 - 12:15

Distribuir

Imprimir

//

A A

Futebol, Fado, Fátima. Este é o tridente muitas vezes associado a Portugal. Hoje em dia, é legítimo acrescentar um terceiro F às nossas contas, visto que os festivais vieram mesmo para ficar. No entanto, várias são as letras que poderiam facilmente simbolizar o ser português.

 

Poderá ser pertinente recuar para o E, senão vejamos: Educação, Estudo, Estudante, Entrevista, Exclamação, Elogio, Especulação, Êxtase, Estágio, Etc... Estes poderão ser alguns exemplos tão actuais como os anteriormente citados. Se, por um lado, o futebol é notícia pelas melhores razões, por outro, a educação também o foi. Quem não se lembra do fabuloso método de Bolonha que tanto contribuiu para o aumento do número de estudantes no nosso país? Se o acesso às faculdades era algo difícil, actualmente, conseguimos assistir a inúmeras universidades repletas de alunos.

 

A crítica poderá não recair no termo Estudante, mas nos seguintes. Finalizados os Estudos, num momento de muita sorte, conseguimos a tão aguardada Entrevista. Esta incidirá, essencialmente em questões, Exclamações e, com alguma sorte, Elogios. À explicação do cargo para qual nos candidatamos, enfrentamos — possivelmente — uma nova etapa de Entrevistas, testes, provas... que poderão culminar num tiro seco de Experiência, ou falta dela: este sim, um verdadeiro E.

 

Na nossa cabeça paira sempre a velha questão que desconhece o processo de obter Experiência sem a mesma nos ser facultada pelos impulsionadores de pistola em punho. Se, num golpe de mestria formos escolhidos, após muitas lágrimas, sangue e suor, induz-se a corajosa e árdua etapa do Estágio, seja ele curricular ou profissional (valerá a pena distinguir?).

 

Este talvez possa ser considerado o grande E desta lista. Não pela sua importância em todo o percurso, mas, exactamente, pela sua duração. O Estágio é encorajado tendo em vista uma melhor adaptação ao mercado de trabalho, uma possível demonstração do nosso desempenho, antes de sermos remetidos para o Emprego que tanto ansiamos.

 

Mas o leitor terá que ter paciência, passamos quase mais tempo a Estagiar que a Estudar e diga-se que o dinheiro despendido é praticamente o mesmo (feitas as contas, este é um trabalho pago, mas desta vez, por nós). Por explicar está ainda o Etc que, não será certamente ao acaso. Este termo poderá ser uma simbologia associada ao Emprego, porém, consideramos que a definição deverá ser interpretada à letra: esta é a expressão de origem latina que significa "e os restantes" ou "e outras coisas mais". É normalmente utilizada no fim de uma frase para representar a continuação lógica de uma série ou enumeração.

 

A questão fulcral apresenta-se então: o lógico poderá ser escolher o Emprego, manter o Estágio, ou será mais vantajoso deixar a coisa mais tradicional e ficarmo-nos pelos F’s? Note Bem: O termo Empreendedor inicia-se também com a letra E. Porém, as burocracias de formatação de texto eram já muitas para que fosse possível a sua inclusão. 

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que