Orienta-te Redes Sociais
D

Educação

Estudantes portugueses criam plataforma de apontamentos mundial

Um grupo de colegas da Universidade de Lisboa aliou a Gestão à Informática e criou o "Sebas", uma plataforma de troca de apontamentos, resumos e sebentas. Dois anos depois, a base de conteúdos tornou-se internacional e evoluiu para "World Class Notes"

Texto de Sara Gerivaz/JPN • 16/06/2014 - 13:39

Distribuir

Imprimir

//

A A

Quem conhece o meio universitário, já teve a experiência de ceder ou pedir apontamentos, resumos ou exemplos de exames. A meio de uma conversa, Rúben Pimenta colocou a hipótese: E porque não criar uma plataforma com esse propósito?

 

Uma vez que não é um grande conhecedor no mundo da informática apresentou a proposta a dois colegas (Rúben de Campos e Hugo Sousa) e passado um ano estava lançado o site.

 

Rúben Pimenta conta ao JPN que, como estudante, "sentia a necessidade de um espaço de partilha de conteúdos. Um espaço onde se pudesse partilhar, sem andar à procura". Depois da elevada receptividade dos estudantes em relação à plataforma, sobretudo dentro da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o projecto teve uma "evolução quase natural".

 

Ainda que o objectivo inicial fosse "fazer uma coisa útil para os estudantes", após o projecto começar a ganhar raízes os fundadores perceberam que a informação é transversal e começa a interessar a pessoas de vários pontos do país. Uma matéria que seja usada por um estudante da Universidade do Porto, pode ser igualmente utilizada por um da Universidade de Lisboa.

 

Assim, o objectivo passou a ser "eliminar as barreiras entre os países e criar uma rede de conteúdos global, com informação acessível e transversal". Em Janeiro de 2014 surge a versão renovada do "Sebas".

 

700 documentos e mais de três mil utilizadores

"World Class Notes" é, de acordo com um dos fundadores, uma plataforma que se distingue das restantes pela globalidade e por oferecer aos estudantes um conjunto de mais-valias, ajudas e incentivos que outras plataformas não contemplam.

 

"A ideia foi posicionar a plataforma de modo a abrir as portas para o mundo", realça Rúben Pimenta. A internacionalização do projecto tornou-se fundamental para estudantes que estivessem, por exemplo, em Erasmus e quisessem usufruir deste serviço.

 

Actualmente conta quase 700 documentos e mais de três mil utilizadores. O fundador desta base de dados indica que já há alguns inscritos a nível internacional, como em Espanha, na Noruega, no Brasil ou em Angola. A equipa da "World Class Notes", actualmente com seis pessoas, preocupa-se com rentabilizar recursos e permite a troca de documentos.

 

Há ainda a possibilidade de alocar um documento e receber, por cada transferência, parte do seu valor. O projecto cria também espaços de discussão e pretende que se partilhem valores, também com algumas empresas associadas, que atribuem prémios e descontos.

Eu acho que

Pub

P3 now speaks English. See our galleries

Fotografia

Para marcar o início da terceira temporada da mítica série norte-americana "Twin Peaks" — que regressou ao pequeno ecrã dos Estados Unidos no dia 21 de Maio de...

Salvador, o vencedor do Festival da...

Ilustração // A euforia começou por ser portuguesa: Salvador Sobral interpretou a canção que...