Orienta-te Redes Sociais
D

Educação

Estudantes portugueses criam plataforma de apontamentos mundial

Um grupo de colegas da Universidade de Lisboa aliou a Gestão à Informática e criou o "Sebas", uma plataforma de troca de apontamentos, resumos e sebentas. Dois anos depois, a base de conteúdos tornou-se internacional e evoluiu para "World Class Notes"

Texto de Sara Gerivaz/JPN • 16/06/2014 - 15:39

Distribuir

Imprimir

//

A A

Quem conhece o meio universitário, já teve a experiência de ceder ou pedir apontamentos, resumos ou exemplos de exames. A meio de uma conversa, Rúben Pimenta colocou a hipótese: E porque não criar uma plataforma com esse propósito?

 

Uma vez que não é um grande conhecedor no mundo da informática apresentou a proposta a dois colegas (Rúben de Campos e Hugo Sousa) e passado um ano estava lançado o site.

 

Rúben Pimenta conta ao JPN que, como estudante, "sentia a necessidade de um espaço de partilha de conteúdos. Um espaço onde se pudesse partilhar, sem andar à procura". Depois da elevada receptividade dos estudantes em relação à plataforma, sobretudo dentro da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o projecto teve uma "evolução quase natural".

 

Ainda que o objectivo inicial fosse "fazer uma coisa útil para os estudantes", após o projecto começar a ganhar raízes os fundadores perceberam que a informação é transversal e começa a interessar a pessoas de vários pontos do país. Uma matéria que seja usada por um estudante da Universidade do Porto, pode ser igualmente utilizada por um da Universidade de Lisboa.

 

Assim, o objectivo passou a ser "eliminar as barreiras entre os países e criar uma rede de conteúdos global, com informação acessível e transversal". Em Janeiro de 2014 surge a versão renovada do "Sebas".

 

700 documentos e mais de três mil utilizadores

"World Class Notes" é, de acordo com um dos fundadores, uma plataforma que se distingue das restantes pela globalidade e por oferecer aos estudantes um conjunto de mais-valias, ajudas e incentivos que outras plataformas não contemplam.

 

"A ideia foi posicionar a plataforma de modo a abrir as portas para o mundo", realça Rúben Pimenta. A internacionalização do projecto tornou-se fundamental para estudantes que estivessem, por exemplo, em Erasmus e quisessem usufruir deste serviço.

 

Actualmente conta quase 700 documentos e mais de três mil utilizadores. O fundador desta base de dados indica que já há alguns inscritos a nível internacional, como em Espanha, na Noruega, no Brasil ou em Angola. A equipa da "World Class Notes", actualmente com seis pessoas, preocupa-se com rentabilizar recursos e permite a troca de documentos.

 

Há ainda a possibilidade de alocar um documento e receber, por cada transferência, parte do seu valor. O projecto cria também espaços de discussão e pretende que se partilhem valores, também com algumas empresas associadas, que atribuem prémios e descontos.

Eu acho que

Pub

P3 now speaks English. See our galleries

Aplicação

Basta uma notificação com um alerta de SOS para pôr todos os utilizadores da Pet Finder, num raio de 60 quilómetros, a ajudarem-te a encontrares o teu animal...

Entre casais também há violações

Vídeo // A realizadora Chloé Fontaine chamou à curta metragem Je suis ordinaire — o que...