Orienta-te Redes Sociais

Entre outras coisas, o cartão de visita de Ana diz que não sabe tocar guitarra, mas que pode aprender DR

Ana João Soutinho é de Viana do Castelo e tem 21 anos DR

"Há que se marcar a diferença desde o primeiro contacto com a pessoa a quem queremos chegar", diz a jovem designer DR

Emprego

Ana João fez do currículo um postal e exige resposta

Para a Ana João, não é novidade nenhuma que há que "reinventar" o currículo. Na universidade, também já incentivam os alunos a inovar na altura de procurar emprego

Texto de Liliana Pinho/JPN • 05/11/2012 - 12:29

Distribuir

Imprimir

//

A A

Ana João tem um dos currículos mais originais que circulam na Internet, mas não surgiu da procura desesperada por emprego. Foi na disciplina "Projecto" — a principal do curso —, quando frequentava a licenciatura em Design, em Aveiro, que o professor a desafiou a ela e aos colegas a criarem um currículo original. Ana levou a proposta a sério.

 

Investiu duas a quatro horas por dia, durante dois meses, num cartão de visita que permite aos empregadores conhecê-la melhor. Diz que gosta de fotografia, de viajar, que não sabe tocar guitarra — mas que pode aprender —, que sabe inglês, design gráfico, tipografia, vídeo e tantas outras coisas.

 

Mas o cartão de visita de Ana João Soutinho não é um cartão qualquer. Tem o formato de um postal e exige resposta, seguindo cinco passos que a estudante indica: "Escolher o que mais gosta em mim" (com as características retratadas em pequenos autocolantes), "completar a ilustração tendo em conta as características que escolheu" e, por fim, "tirar uma fotografia à ilustração final", "enviá-la por e-mail" e convidar Ana a "aparecer pelo estúdio".

 

Interactividade

O objectivo é que se promova a interactividade entre o empregador, o currículo de Ana e, por fim, a própria Ana. A jovem acredita que ninguém vai ficar indiferente ao seu currículo. "Vai despertar a curiosidade das pessoas que o receberem", conta. Pelo menos os amigos, professores, e as pessoas mais próximas já se renderam ao currículo. "Todas as pessoas têm gostado e acham uma óptima ideia", garante.

 

Agora, Ana João tem 21 anos, é designer e, para já, só ambiciona mesmo um "part-time" que possa conjugar com o mestrado em Design de Comunicação, na ESAD. Por causa do desejo de continuar os estudos ainda não se empenhou muito na procura de emprego.

 

Ainda assim, um dia — cada vez mais próximo —, espera que o seu postal interactivo faça a diferença. Até lá, uma certeza impera: "Tenho de chamar a atenção e não é com um modelo 'standard' que eu o vou conseguir", garante. "É fundamental inovar, com tanta gente no mercado. Há que se marcar a diferença desde o primeiro contacto com a pessoa a quem queremos chegar".

Eu acho que

Pub

P3 now speaks English. See our galleries

Arquitectura

Fica na Avenida Camilo, no Porto, e ocupa uma área total de fazer inveja: 5800 metros quadrados. Bem-vindos à BLIP, empresa tecnológica portuguesa, detida por...

Ser mãe é a melhor coisa do mundo?...

Ilustração // Ser mãe é a melhor coisa do mundo. Ser mãe nem sempre é a melhor coisa do mundo...