Medida

Câmara de Vila Nova de Gaia abre programa de estágios remunerados

Programa Municipal de Estágios Profissionais Remunerados destina-se tanto a licenciados, como a alunos que decidem não prosseguir os estudos após o 12.º ano. Medida pode entrar em vigor em Abril

Texto de P3/Lusa • 23/11/2017 - 14:02

Distribuir

Imprimir

//

A A

A Câmara de Vila Nova de Gaia vai iniciar no próximo ano um programa de estágios remunerados que beneficiará meia centena de pessoas, destinado tanto a licenciados como a alunos que decidem não prosseguir os estudos após o 12.º ano. Trata-se do Programa Municipal de Estágios Profissionais Remunerados, cuja proposta de criação de regulamento é discutida sexta-feira em reunião de Câmara.

 

Esta medida terá duas vertentes, sendo a destinada a licenciados dirigida a jovens que assim "terão a sua primeira experiência profissional" esperando-se conseguir "suprir alguma lacuna na procura de emprego", explicou à Lusa o autarca Eduardo Vítor Rodrigues. "É-lhes exigida experiência profissional que não têm e desta forma podem vir a ter. Os estágios versam todas as áreas de intervenção do Município. Podemos absorver técnicos superiores de arqueologia, acção social ou educação, bem como das engenharias".

 

Já a segunda vertente dos estágios destina-se a alunos que, terminado o 12.º ano, decidem não prosseguir o seu trajecto académico. O presidente da Câmara de Gaia espera que esses jovens encarem o estágio profissional como "um eixo de profissionalização" e aponta o turismo ou a serralharia como possíveis áreas de absorção de estagiários.

 

Existirão 25 vagas para cada vertente, num total de 50, e o programa custará cerca de 80 mil euros por ano ao orçamento municipal de Gaia, distrito do Porto. Eduardo Vítor Rodrigues tem a expectativa de que o programa entre em vigor em Abril. "Para o arranque do programa teremos os serviços do município como garantia mas, mais tarde, poderemos envolver empresas fornecedoras, parceiros sociais, entre outros", avançou o autarca.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que