Jogo

Como é ser motorista da Uber?

"Financial Times" criou um jogo, baseado em dezenas de entrevistas com trabalhadores da Uber. É jornalismo para explicar como é viver da "gig economy". Achas que consegues?

Texto de P3 • 16/10/2017 - 11:38

Distribuir

Imprimir

//

A A

És um condutor da Uber com dois filhos para sustentar e tens uma semana para juntar 1000 dólares para pagar a hipoteca da casa. Será que consegues? O jogo online e gratuito criado pelo Financial Times quer mostrar como é ser trabalhador da gig economy — e tudo o que ali se vê não é faz de conta: foi desenvolvido tendo em conta reportagens e dezenas de entrevistas com trabalhadores da Uber.

 

As queixas dos trabalhadores, independentemente da geografia onde se trabalha, vão sendo mais ou menos comuns: precariedade, insegurança laboral, jornadas laborais longas, folgas e descanso curtos. Mas uma coisa é saber, outra é sentir na pele o problema. E é isso que este jogo — que é jornalismo — procura fazer.

 

Para começar, é preciso escolher entre o nível fácil (na cidade de São Francisco) ou difícil (no difícil trânsito de Sacramento, também na Califórnia). À medida que o jogo evoluiu, o motorista vai sendo confrontado com diferentes opções. Deixarias os miúdos sem brincadeira nessa noite para conseguir um trabalho extra? És capaz de deixar o passageiro num lugar perigoso? Deixas alguém entrar no carro a comer um hambúrguer? Aceitas um passageiro que está a vomitar?

 

Todas as opções têm reflexo nos ganhos — e a barra superior do jogo vai pondo o jogador a par do que já ganhou (ou perdeu) e de quantas horas de trabalho já acumulou.

 

"Decidimos fazer este jogo porque queríamos encontrar novas maneiras de apresentar as nossas reportagens e educar as pessoas sobre a gig economy", explica num artigo do Financial Times Robin Kwong, editor da área digital do jornal, que se inspirou em jogos como Life is Strange e Reigns para criar este Uber Game. "Nós escrevemos muitas histórias [sobre o assunto] mas queríamos tentar ajudar as pessoas a compreender melhor, do ponto de vista emocional, como é ganhar a vida como trabalhador da gig economy". Experimentas?

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que