ReTuna

Ambiente

O primeiro shopping sustentável do mundo é na Suécia

Este centro comercial não vende produtos a estrear, é amigo do ambiente, defensor da sustentabilidade e repleto de objectos em segunda mão, restaurados ou reciclados

Texto de Ana Rita Carvalho • 11/05/2017 - 17:01

Distribuir

Imprimir

//

A A

A moda dita, a sociedade segue, condicionada a acreditar que precisamos de tudo o que seja novo: desde a roupa à tecnologia. Por esse motivo, existem muitas coisas úteis que, todos os dias, são dispensadas pelos consumidores. Muitas peças de roupa e até de mobília são doadas a lojas de segunda mão, com o objectivo de que possam ser usadas por outras pessoas. Mas também existem casos em que esses objectos são desproveitados, deitados ao lixo, como se não tivessem utilidade.

 

Vivemos numa época em que a palavra desperdício impera e é importante começar a evitar a dissipação desnecessária de objectos com possível potencial para serem reciclados, renovados, reparados, “ressuscitados”. Afinal, quem quer prejudicar o meio ambiente ou a economia?

 

Em Portugal, tal como o Público noticiou, a Associação Zero denunciou que é desconhecida a quantidade exacta de resíduos sólidos urbanos produzidos e reciclados. Na Suécia a realidade é diferente, devido à sua política de reciclagem: cada casa recicla, em média, 99% do lixo que produz, segundo o site Plaid Zebra

 

Com base nesta política, uma equipa de activistas ambientais, criou o centro comercial ReTuna Recycling Galleria, em Eskilstuna, na Suécia, o primeiro shopping no mundo que vende apenas materiais reciclados ou produtos reparados. Lá podemos encontar um centro de reciclagem e um “centro de compras”, um género de dois em um sustentável. Os clientes são incentivados a doar objectos que não utilizam e, depois, a passear à procura de objectos substitutos que lhes despertem mais interesse e aos quais possam dar uso. A filosofia é clara: deixar alguma coisa e levar outra em troca.

 

“A nossa ideia é que o cliente nos visite e deixe alguma peça de mobília ou de roupa à qual já não dá uso. Depois podem visitar as lojas e, talvez, encontrem um novo casaco ou novo quadro”, explicou Anna Bergström, a responsável pelo ReTuna Recycling Galleria, ao Progrss. “Quando os clientes vão embora, vão com a sensação de que fizeram alguma coisa pelo ambiente”, acrescentou.

 

Os funcionários têm a função de avaliar e classificar os objectos doados, em várias oficinas, onde os remodelam ou reciclam. Os produtos são depois distribuídos por 14 lojas especializadas, que incluem computadores, mobiliário, equipamentos de áudio, roupas, brinquedos, bicicletas e materiais de jardinagem e construção, segundo a Good News Network.

 

Tudo o que podemos encontrar neste shopping sueco, assumidamente amigo do ambiente, é usado – o que não significa que seja ultrapassado. Para manter e incentivar a sustentabilidade e ser amigo do ambiente, este centro comercial possui também um café e restaurante, cujo menu tem como base produtos orgânicos. Para além disso, também está patente uma exposição permanente sobre a “arte de reciclar”.

 

Com a abertura do ReTuna Recycling Galleria foram ainda criados 50 novos postos de trabalho, relacionados com a reparação e recuperação de materiais, o que impulsionou, naturalmente, a economia da Suécia. Para quando um destes em Portugal?

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que