Concurso

Câmara do Porto tem 70 mil euros para apoiar o empreendedorismo

Cada candidatura aprovada poderá receber um valor máximo de 10 mil euros

Texto de Patrícia Carvalho • 10/03/2017 - 16:01

Distribuir

Imprimir

//

A A

Os prazos são curtos, mas o apoio é tentador. A Câmara do Porto tem até 70 mil euros para apoiar projectos ligados ao empreendedorismo, inovação e tecnologia. Cada proposta poderá receber até 10 mil euros e os interessados terão de submeter-se a um concurso, apresentando as suas propostas entre 20 de Março e 2 de Abril.

 

O concurso, cujo lançamento deverá ser aprovado na reunião do executivo da próxima terça-feira, destina-se a apoiar propostas que cumpram pelo menos dois dos três objectivos definidos pela autarquia e que são “estimular a cultura empreendedora através de uma comunidade mais dinâmica e activa”, “aumentar as oportunidades denetworking e fontes de conhecimento da cidade” e “a dinamização da comunidadestartup e scaleup da cidade, nomeadamente durante a semana Start & Scale (entre 27 de Maio e 3 de Junho de 2017), semana dedicada à promoção do empreendedorismo e inovação”.

 

Pode candidatar-se ao apoio da autarquia qualquer entidade que tenha sede ou uma delegação no concelho do Porto. As actividades propostas não serão contempladas se não forem desenvolvidas até ao final deste ano ou se já beneficiarem de algum tipo de apoio por parte da autarquia. Cada concorrente pode propor mais do que uma actividade, mas fica excluído do procedimento se tiver qualquer ligação à Câmara do Porto, ao júri do concurso ou aos parceiros responsáveis pela iniciativa ScaleUp Porto.

 

As propostas serão avaliadas até 17 de Abril e os vencedores deverão ser conhecidos a 3 de Maio.

 

Na reunião da próxima semana os vereadores vão também ficar a conhecer a proposta da maioria liderada por Rui Moreira para o programa de concurso de concepção do projecto Percursos Pedonais – ligações mecanizadas: Miragaia – Palácio de Cristal – Virtudes.

 

A autarquia já anunciara, em 2015, a intenção de facilitar as ligações entre as partes alta e baixa da cidade, através da criação de ligações mecanizadas. Com esse objectivo foi mesmo realizado um estudo, que apresentava várias possíveis soluções. Um dos objectivos primordiais é facilitar a ligação entre o Pavilhão Rosa Mota/Palácio de Cristal, que será reabilitado para espaço multiusos, incluindo congressos, e a Alfândega do Porto, onde também se realizam este tipo de eventos.

 

A proposta do Sítios e Memórias – que realizou o estudo – apontava para três possibilidades de ligação entre estes dois espaços. Uma que partia da zona da Concha Acústica, nos jardins do palácio, outra saindo do miradouro sobre a Ponte da Arrábida e uma outra com início na área das antigas jaulas. A última opção obrigava à instalação de um elevador, enquanto a segunda apontava para a criação de escadas rolantes. Apenas a solução da Concha Acústica não incluía acessos mecanizados, propondo-se apenas o prolongamento das escadas existentes nos jardins do palácio e na Casa Tait.

 

No caso de Miragaia, das quatro possibilidades apontadas pelo Sítios e Memórias, duas previam também a instalação de escadas rolantes.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que