Orienta-te Redes Sociais
O negócio Campo à Porta já fidelizou 150 clientes

O negócio Campo à Porta já fidelizou 150 clientes Adriano Miranda

Ricardo garante que os legumes vendidos são colhidos apenas no dia da entrega Adriano Miranda

Preço

10 euros
é o valor de cada cabaz

trustypics/Flickr

Empreendedorismo

O engenheiro agrário foi entregar legumes ao domicílio

Chama-se "Campo à Porta" o negócio de entrega de cabazes hortícolas criado por um jovem licenciado

Texto de Ana Chaves • 29/01/2012 - 16:10

Distribuir

Imprimir

//

A A

Ricardo Hespanhol, engenheiro agrário de 29 anos, decidiu oferecer, no Natal de 2010, 15 cabazes com legumes e fruta como presente de Natal à família. A ideia foi um sucesso e os pedidos multiplicaram-se de tal forma que Ricardo viu aqui uma oportunidade de negócio. Poucos meses depois nasceu o projecto Campo à Porta.

 

Os “part-times” que vinha somando ao currículo, todavia, não lhe permitiam juntar dinheiro suficiente para montar o seu próprio negócio. Ricardo decidiu então contactar um fornecedor hortícola com quem já vinha mantendo contacto de forma a que este lhe assegurasse os produtos a um "preço compensador". A parceria surgiu, mas Ricardo percebeu que era necessário algo que diferenciasse esta oferta de tantas outras. O quê? O serviço ao domicílio pareceu-lhe óbvio.

 

Esta é a estratégia de “marketing” da Campo à Porta, que já fidelizou cerca de 150 clientes e que agora emprega Sebastião Mota, um jovem de 28 anos formado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP).

 

O que há no cabaz?

Cada cabaz contém oito variedades de produtos de agricultura convencional (não biológicos), escolhidos pelo cliente, e custa dez euros. Há cerca de 25 variedades de legumes (abóbora, alho francês, brócolos, beterraba, pepino, curgete, penca, pimento, espinafres...), sendo que os mesmos vão alternando com a época do ano. As quantidades variam de acordo com os produtos sendo ao quilograma (cebolas, batatas, cenouras) ou ao molho (grelos, alho francês). Também se vende um cabaz e meio, com 12 produtos, por 15 euros.

 

Os legumes, assegura o jovem empreendedor, "são sempre frescos porque são colhidos apenas no dia da entrega". Para além dos legumes, há azeite virgem e virgem extra de Vila Flor, bem como galinhas e coelhos caseiros por encomenda. As entregas são feitas às segundas, quartas e sextas-feiras, entre as 11h e as 20h, no Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Leça da Palmeira e Maia.

 

Até ao final do ano, Ricardo e Sebastião esperam aumentar o número de clientes e, consequentemente, as receitas, de forma a ser possível comprar uma carrinha para poder vender [para além dos legumes] fruta: "Para já não há espaço no carro". Nos tempos livres, Ricardo lecciona workshops de Hortas Pedagógicas com crianças, no Centros de Estudos Eureka, no Porto.

Eu acho que
Videoclipe.pt

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Redes sociais

Mário Tarouca

Sem Facebook, sem Instagram, sem Linkedin. “Adiós! See yaaa! Adeus!”: Mário Tarouca despediu-se dos “amigos” das redes sociais para viver um mês sem a pressão...

Bernardo disfarçou-se de turista e...

Livro // Quis olhar para o sector do turismo em Portugal como estrangeiro e, para isso,...