Orienta-te Redes Sociais

Diogo Nesbitt tem 29 anos Miguel Manso

Desporto

Reservar um campo sem pegar no telefone

Site foi feito em part-time, lista espaços desportivos para várias modalidades e gere cerca de 200 reservas diárias. Um texto da série do PÚBLICO sobre start-ups

Texto de João Pedro Pereira • 28/12/2012 - 12:28

Distribuir

Imprimir

//

A A

O Aluguer de Campos é um site que permite aos utilizadores pesquisar por recintos desportivos de várias modalidades, ver num mapa a localização exacta, saber quais os horários que ainda estão livres e fazer a reserva online. Mas não é neste lado da equação que o criador da plataforma, Diogo Nesbitt, está a fazer negócio. A ideia é substituir por um sistema informático o papel e caneta que muitos pavilhões e clubes desportivos ainda usam para manter a agenda de reservas.

 

Nesbitt tem 29 anos e estudou engenharia informática. Dois anos depois de ter saído da universidade, criou uma empresa de consultoria informática de que ainda é sócio. Mas há um ano e meio começou à procura de uma nova ideia de negócio. Acabou por criar a MySports, a empresa por trás do Aluguer de Campos, e foi desenvolvendo a plataforma em part-time, ao longo de dois meses.

 

A MySports funciona agora em Lisboa, nas instalações da Olisipo, uma empresa que serve de incubadora a outras. Metade da MySports foi comprada pela Olisipo “por um valor residual”, explica Nesbitt. Mas a Olisipo comprometeu-se a fazer um investimento que pode chegar aos 100 mil euros ao longo de um ano, “dependendo dos resultados”.

 

O investimento conseguido serviu para fazer publicidade ao site (no Google, no Facebook e nos sites dos jornais desportivos) e para contratar um vendedor, cuja tarefa é tentar convencer clubes e recintos a aderirem à plataforma. O pagamento é mensal e cada entidade que use a ferramenta de gestão paga consoante os campos que queira gerir: 50 euros por cada campo de uma modalidade com mais de cinco jogadores e 12,5 euros para as modalidades com menos pessoas. Os recintos só pagam caso seja feita pelo menos uma reserva nesse mês através do site.

 

A ideia de um modelo de negócio assente numa comissão sobre as reservas foi afastada porque acabaria por não compensar para quem aluga os espaços, explica o fundador, que garante que a aceitação, “por ora, tem sido fácil”. Mas o projecto está ainda numa fase inicial: no total, 23 clubes, todos na zona da grande Lisboa, aderiram à plataforma, que, para além da gestão de reservas, disponibiliza estatísticas de utilização dos espaços, como os dias da semana com maior e menor procura e o número de cancelamentos.

 

O site tem, em média, mil visitas e 200 reservas por dia. Para além das funcionalidades de pesquisa, tem uma área que lista os campos livres para reservas de última hora, permite alugar material (como raquetes) no caso dos recintos que disponibilizam este serviço e, através do Facebook, é possível que os utilizadores recomendem cada um dos espaços.

 

A ideia inicial passava também por rentabilizar o site através de um patrocinador. Mas os contactos com as grandes marcas de desporto acabaram por não resultar.

 

Hoje, Nesbitt dedica um dia por semana ao projecto. Em Janeiro, serão lançadas as aplicações para iOS e Android.

Eu acho que

Pub

Videoclipe.pt

Habitação

Mudou-se para o Porto para implementar um projecto de reabilitação na freguesia do Bonfim. E, um ano depois, chegou a Campanhã. No Habitar Porto, criado por...

As mulheres de verdade têm pêlos,...

Livro // Há cerca de dois anos, num qualquer dia quentes de Primavera, Rocío Salazar...