Orienta-te Redes Sociais

Cada equipamento necessita em média de 18 garrafas DR

Os designers da Nike usaram imagens tridimensionais do corpo de todos os jogadores DR

A camisola "é como a bandeira nacional", diz o director criativo da Nike DR

Futebol

O “equipamento perfeito” da Nike para o Brasil é reciclado

Um equipamento tecnológico e reciclado — são necessárias em média 18 garrafas de plástico para conceber um

Texto de P3 • 04/12/2013 - 10:47

Distribuir

Imprimir

//

A A

A selecção brasileira é, quase por direito natural, uma das favoritas para vencer o Mundial de Futebol de 2014. Pelo histórico de palmarés, porque joga em casa e, a acreditar no que se diz, por causa do novo equipamento, que promete mundos, fundos e, possivelmente, não ficar em segundo.

 

Mais a sério. Apresentado na semana passada pela Nike, o novo equipamento da selecção brasileira é fabricado a partir de garrafas de plástico recicladas. Para além da camisola e dos calções, também as meias são, pela primeira vez, de poliéster reciclado. E pela primeira vez num equipamento de uma selecção, garante a empresa em comunicado. Cada um, necessita em média de 18 garrafas para ser concebido; já lá vão, diz a Nike, cerca de dois mil milhões de garrafas retiradas de aterros desde 2010.

 

Para o "equipamento perfeito", os designers usaram imagens tridimensionais do corpo de todos os jogadores, com direito a raio-X e coisas que tais. Tudo para potenciar a adaptação e o conforto. As meias foram um dos focos de atenção dos designers. Chamam-se Nike Elite Match Fit e prometem "conforto e protecção" para o dedo grande e tornozelo, bem como para o arco do pé.

 

É quase impossível ver o vídeo e não querer entrar naquela camisola. Culpa do 3D, claro, e não só. A malha "burnout" e os buraquinhos perfurados a laser, em combinação com a tecnologia Nike Dri-FIT e o tecido dual-knit (com algodão e poliéster reciclado), asseguram refrigeração onde os jogadores mais necessitam. "Ao manter o corpo mais fresco durante mais tempo, os jogadores sentem-se mais confortáveis, suam menos e têm um melhor desempenho em campo", afiança, em comunicado, Martin Lotti, director criativo da Nike Football.

 

Fabricada inteiramente no Brasil, a "amarelinha" está diferente, não só a nível funcional, mas também esteticamente. "Quisemos criar uma fusão entre a trepidante velocidade do futebol e a cultura do Brasil, ao mesmo tempo que nos mantivemos fiéis àquilo que o equipamento representa", diz Lotti, para quem a camisola "é como a bandeira nacional". O colarinho é comodamente em Y, o emblema da Confederação Brasileira de Futebol está maior, é rodeado por bordado metálico dourado e esconde, no interior, uma frase: "Nascido para jogar futebol". A arte de rua brasileira ditou a inspiração para o tipo de letra para a inscrição do nome e número dos jogadores. O designer brasileiro Bruno Big, por seu turno, foi convidado para desenhar um típico símbolo nacional: um pequeno canário amarelo, na parte de trás do pescoço, representa a "Canarinha".

Eu acho que
P3 now speaks English. See our galleries

Audio

Laura quer que as pessoas entrem no atelier dos artistas "com um clique"

Redes sociais

Mário Tarouca

Sem Facebook, sem Instagram, sem Linkedin. “Adiós! See yaaa! Adeus!”: Mário Tarouca despediu-se dos “amigos” das redes sociais para viver um mês sem a pressão...

Ser mãe é a melhor coisa do mundo?...

Ilustração // Ser mãe é a melhor coisa do mundo. Ser mãe nem sempre é a melhor coisa do mundo...