Estudo

Bastam duas semanas de inactividade física para reduzir massa muscular

Jovens saudáveis passaram de 10 mil passos por dia para apenas 1 500 e a sua gordura corporal aumentou. Estudo da Universidade de Liverpool vai ser apresentado no Porto

Texto de Alexandra Campos • 16/05/2017 - 11:40

Distribuir

Imprimir

//

A A

Jovens saudáveis: mexam-se! Bastam duas semanas de inactividade para reduzir a massa muscular e provocar alterações metabólicas que podem conduzir a um risco acrescido de desenvolver doenças crónicas, como a diabetes tipo 2, patologias cardiovasculares e, potencialmente, morte prematura, concluíram os autores de um estudo que vai ser apresentado nesta quarta-feira, 17 de Maio, no Congresso Europeu de Obesidade, no Porto.

 

O trabalho foi coordenado por Kelly Bowden Davies e Dan Cuthbertson, da Universidade de Liverpool (Reino Unido). A equipa investigou os factores de risco para o desenvolvimento de doenças após 14 dias de inactividade física. E concluiu que depois desse período, e sem mudanças na dieta, ocorrem alterações significativas, como perda de massa muscular e aumento da gordura corporal total.

 

Os níveis da forma física cardio-respiratória diminuíram acentuadamente e os participantes no estudo — 28 jovens saudáveis e fisicamente activos que passaram de cerca de 10 mil passos por dia para apenas 1500, ou seja, menos 125 minutos diários de actividade vigorosa ou moderada — já não conseguiam correr durante tanto tempo e com a mesma intensidade do que antes.

 

Os investigadores destacam que foi mesmo observada uma redução do índice de massa magra total (0,36 kg). “No grupo de jovens que seguiam as recomendações previstas nas normas orientadoras de actividade física, apenas 14 dias de sedentarismo provocaram pequenas mas significativas mudanças que foram acompanhadas por reduções da massa muscular e aumento da gordura corporal. Estas alterações podem provocar doenças crónicas metabólicas e mortalidade prematura”, avisa Dan Cuthbertson . As pessoas, recomenda, “devem evitar ficar sentadas durante longos períodos”.

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que