Kickstarter

Palhinhas de plástico, nunca mais. É a “Final Straw”

É reutilizável, do tamanho de um porta-chaves e amiga da saúde e do ambiente. A “Final Straw” quer erradicar as palhinhas de plástico do planeta até 2032

Texto de Linda Melo • 18/05/2018 - 13:38

Distribuir

Imprimir

//

A A

Reutilizável, dobrável e fácil de limpar. Para quem quer diminuir o impacto do plástico no ambiente, a Final Straw é uma alternativa às palhinhas que infestam as praias e os oceanos. Não faltam opções para fugir ao plástico: já existem palhinhas de bambu, titânio, vidro e até biodegradáveis e comestíveis. É só escolher. No entanto, nem sempre é prático andar com um tubinho na carteira ou no bolso. Foi a pensar nisso que os canadianos Emma Cohen e Miles Pepper criaram a Final Straw, uma palhinha reutilizável que se dobra numa pequena caixa do tamanho de um porta-chaves.

 

A Final Straw tem 23 centímetros e pode ser usada tanto para bebidas quentes ou frias, é feita de aço inoxidável e, por ser livre de BPA — Bisfenol-A, um composto nocivo utilizado no fabrico de resinas e plásticos —, faz tão bem à saúde como ao ambiente. Foi criada para durar uma vida inteira e a pequena caixa transportadora é feita de plástico 100% reciclado. Vem ainda com uma escova para manter a palhinha sempre limpa, utilização após utilização. A ideia já angariou mais de um milhão e meio de euros (1 milhão e 800 mil dólares) numa campanha de crowdfunding do Kickstarter onde, inicialmente, os criadores apenas pediam 10.600 euros (12.500 dólares). Cada Final Straw vai custar 17 euros e deve chegar ao mercado em Novembro

 

Uma palhinha de plástico demora mais de 400 anos a decompor-se na Natureza e estima-se que, só nos Estados Unidos da América, sejam utilizados 500 milhões por dia. De acordo com os criadores da marca, uma única Final Straw pode impedir que 584 destes objectos cheguem aos oceanos e ao subsolo. O grande objectivo é erradicar do planeta as palhas de plástico até 2032. E assim, palhinha a palhinha, tentar salvar o planeta. 

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que