Por cima das nossas cabeças, as árvores são tímidas

autoria P3

// data 24/08/2017 - 12:02

// 7358 leituras

O fenómeno é conhecido como “timidez entre árvores”. Na prática, o que acontece é que os ramos das copas das árvores não se tocam, criando fendas bem definidas entre si. Este comportamento foi descrito pela primeira vez nos anos de 1920 e, desde então, várias áreas da ciência têm procurado justificações para o fenómeno. Apesar de a biologia não apresentar uma justificação como certa, existem algumas teorias. A explicação mais aceite defende que o comportamento adaptativo das copas surgiu para dificultar a passagem entre ramos de larvas e insectos que se alimentam das folhas. Outra hipótese apoia-se na “timidez das árvores” como um mecanismo para evitar a sobreposição das copas, garantindo assim que uma maior área de plantas rasteiras fica exposta à luz solar. Existe ainda a teoria de que as fendas surgem como consequência do atrito e colisão entre ramos, que causam uma poda natural, devido à acção dos ventos. Segundo a biologia, a colisão dos galhos acaba por destruir os nódulos de crescimento laterais, fazendo com que as árvores não cresçam nessa direcção. Sabe-se que este fenómeno botânico acontece mais frequentemente entre a mesma espécie, mas também pode ocorrer em exemplares diferentes. Os eucaliptos, o abeto centeio de Sitka e o larício japonês são algumas das árvores em que este processo, completamente natural, é visível.

Eu acho que